Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Render Props para reutilização de componentes

A sua, a minha, a nossa!

 

Fala minha gente, tudo certinho? Faz pouco mais de um mês que fui agraciado com o conhecimento sobre Render Props e hoje tô aqui pra passar pra vocês o que tem acontecido desde então.

API

Render Prop já está no React faz um bom tempo, porém sua utilização ainda não era recomendada dados alguns problemas. Mas, a API foi completamente reescrita e, a partir da versão 16.3, ele se tornou oficial. Você com certeza vai encontrar muitos projetos utilizando essa técnica de criação e reutilização de componentes.

Re-utilizando de verdade!

Bom, um dos grandes benefícios que Render Props traz, na minha visão, é a verdadeira RE-UTILIZAÇÃO, além de ser muito simples. Você de fato cria componentes que podem ser reutilizados por todo o seu código de uma forma bem declarativa, tornando seu código mais limpo. Permite também você usar ainda mais componentes stateless, o que em grandes aplicações traz um benefício em performance, já que você diminui a necessidade de implementação de lógica e verificação de repaint (PS: Para entender melhor como funciona o ciclo de repaint, de uma lida aqui:  https://reactjs.org/docs/react-component.html) em vários pontos do app. Vamos dar uma olhada em como isso funciona na prática com um exemplo bem simples. Vamos imaginar que queremos saber a quantidade em pixels que a página foi “scrollada”. Podemos montar um simples componente da seguinte forma:

class ScrollSpy extends PureComponent {
  state = {
    pixelsFromTop: 0
  }

  componentDidMount () {
    this.spyScroll()
  }

  spyScroll = () => {
    window.addEventListener('scroll', () => {
      this.setState({
        pixelsFromTop: window.pageYOffset
      })
    })
  }

  render () {
    const { children } = this.props
    const { pixelsFromTop } = this.state

    return children(pixelsFromTop)
  }
}

 

Pronto, agora temos um componente que “atacha” um evento ao window que monitora o scroll da página, assim que o usuário rolar ela pra cima ou para baixo, a distância em pixels vai ser definida no state e devolvida para a função filha. Você deve prestar atenção para o que muda aqui: perceba que, no método render, estamos executando a função children, ou seja, ao invés de estar renderizando algo, estamos invocando uma função que será executada para aí sim renderizar o que recebermos como children do nosso componente ScrollSpy. Dessa forma, quando a gente for utilizar esse componente, receberemos uma função, com os parâmetros que passamos para children. Veja como a utilização é simples:

...
<ScrollSpy>
  // Parâmetros que passamos para o children
  { pixelsFromTop => (
    <span>Distance: { pixelsFromTop }px</span> // O que será renderizado
  ) }
</ScrollSpy>
...

 

E é isso, agora sempre que você precisar da distância em pixels, você pode usar o ScrollSpy e ele te dará essa informação. Da forma “tradicional” você teria de implementar a lógica em cada componente que você quisesse obter essa informação, ou adicionar a um state global, usar redux, ou algo nesse sentido. Vai dizer, muito mais simples assim não é? Continuando, o componente ScrollSpy também poderia receber props como qualquer outro componente, você poderia capturar essas props, e criar alguma lógica em cima disso. Vamos dar uma olhada no componente Query do Apollo.

<Query query={userQuery}>
  { ({ loading, error, { user } }) => (
    <span>Name: { user.name }</span>
  ) }
</Query>

 

Perceba que estamos passando uma prop query para o componente Query. Essa query será executada e retornará informações do usuário. Além disso, enquanto a query está sendo executada, o componente nos informa através do parâmetro loading que a requisição ainda não acabou, e se houver algum erro, através do parâmetro error. Você pode ler mais sobre o componente Query e outros do Apollo na doc oficial: https://www.apollographql.com/docs

Dados esses exemplos, quero deixar o link do github para um projeto que acho muito bacana e que é construído usando esse conceito de render prop. É o projeto do Renato Ribeiro, react-powerplug -> https://github.com/renatorib/react-powerplug

HELLLL

Bom, quando você começa a usar render prop, acaba se apaixonando. E você vai perceber que qualquer coisa agora poderia virar uma render prop. Mas cuidado, isso pode ser uma armadilha! Sempre analise bem se realmente o que você quer fazer, vale aplicar a técnica. Nesse sentido, você lembra do CALLBACK HELL? Se não lembra ou não sabe o que é, você pode ler sobre aqui: http://callbackhell.com. Callback Hell foi tão comentado a um tempo atrás que ganhou até um site =P  Aqui a gente pode encontrar outro problema, dá só uma olhada:

...
<RP1>
  { param1 => (
    <RP2>
      { param2 => (
        <span>HELLLL!!! { param1 } - { param2 }</span>
      ) }
    </RP2>
  ) }
</RP1>
...

 

Você já pode imaginar onde esse código iria parar né? Para tal problema, existe um projeto bem bacana que nos ajuda a resolver isso, é o react-adopt! O projeto é do Pedro Nauck, já deixo aqui o link para você conferir: https://github.com/pedronauck/react-adopt

Neste caso, aplicando o react-adopt teríamos o seguinte resultado:

...
const Composed = adopt({
  param1: <RP1 />,
  param2: <RP2 />
})

<Composed>
  { ({ param1, param2 }) => <span>Agora SIM!<span> }
</Composed>
...

 

Muito melhor não é mesmo?

See you

Então é isso aí minha gente, espero que tenham gostado! E antes de ir, deixo também o link da doc oficial: https://reactjs.org/docs/render-props.html – Sempre é bom ler direto da fonte \o/ Abraços galera, e até a próxima.


***
📣
Estamos contratando pessoas que desenvolvam software!
Mais informações sobre a vaga.
***