Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Como acabar com a herança de sistemas legados: CMS’s modernos

A nova geração de CMS’s podem ajudar na herança de sistemas legados

Não importa a área de negócios da sua empresa, existe um case aplicável ao seu negócio, mesmo que você já tenha investido uma quantia considerável em sistemas legados.

Existem muitos casos onde organizações que estão aproveitando os benefícios de CMS’s modernos estão passando a frente de seus concorrentes, lidando com a complexidade da herança de sistemas legados, oferecendo experiências digitais impressionantes a seus clientes, experiências essas que de fato trazem resultados.

O velho modelo dos CMS’s citado no artigo anterior (Os problemas com a herança de sistemas legados – parte 1) é caro, engessado e restritivo, enquanto o novo modelo é aberto, colaborativo e gratuito.

  1. Código aberto. Open Source, é o novo paradigma.

Tecnologias de código aberto ou Open Source, oferecem uma estrutura que permite inovação completa. Por nenhuma pessoa ou entidade ser dona de um programa de código aberto, as possibilidades de modificação e personalização são infinitas. A quantidade de trabalho necessária para adaptação de um sistema de código aberto às necessidades da área de atuação do seu negócio é infinitamente menor que a construção “do zero” de uma solução, sem contar a qualidade do trabalho realizado e tempo e custo necessários para isso.

Este fato também encoraja a comunidade de desenvolvedores em todo o mundo e permite a criação da inovação a partir de problemas comuns a todos. Agora, em vez de apenas 50 desenvolvedores, existe uma comunidade mundial de desenvolvedores interagindo entre si para criarem a próxima geração da experiência digital. E tudo isso de forma gratuita, sem custos.

A comunidade de desenvolvimento Open Source está constantemente atualizando e contribuindo com novas funcionalidades, assim como também contribuindo com itens relacionados à segurança e melhorias do código, de modo que as funcionalidade do CMS nunca ficam ultrapassadas. E já que é de código aberto, todos podem tomar livremente vantagem destas melhorias.

  1. Open Source é livre de custos e licenças para utilização.

Software Open Source é um paradigma instigante no que tange a capacidade de potencialização de novos negócios. Não há taxas de licenciamento, que podem gerar custos acima de U$ 100.000 para viabilizar um projeto utilizando um CMS proprietário.

Por não possuir custos, CMS’s licenciados como Open Source permitem uma gama muito maior de recursos disponíveis para quem visa oferecer um produto ou serviço, ou ainda, necessita oferecer uma experiência digital satisfatória expondo de maneira certa seu negócio ao usuário final.

  1. Sistemas de código aberto são inovadores.

A estrutura de desenvolvimento e manutenibilidade do código aberto permite que toda a comunidade de desenvolvimento possa modificar e compartilhar funcionalidades em tempo real. Esta mesma comunidade, tem por base a sua própria criatividade e a necessidade de adaptação às novas necessidades do mercado, por isso, cresce e inova tão rapidamente quanto os consumidores podem imaginar novas possibilidades. Este paradigma é fundamental para a evolução e o progresso interativo que é a base de experiências digitais modernas.

  1. Tecnologias de código aberto são facilmente combinadas para criar novas e poderosas soluções.

Tecnologias Open Source são facilmente combinadas com automação de marketing, CRM’s, ferramentas de tracking de usuários (web analytics), vídeo, entre tantas outras. Desta forma, pode ser facilmente integrada em novas e poderosas funcionalidades. Quando se trata de CMS’s, muitas das tecnologias de suporte que apresentam a melhor experiência aos usuários finais só são possíveis devido a combinação de tecnologias de código aberto.

  1. Open Source minimiza o risco.

No passado, não havia muita escolha a não ser gastar centenas de milhares ou mesmo milhões em tecnologias para um CMS proprietário – sem mesmo haver a possibilidade para o cliente de poder experimentar os sistemas primeiramente. O Open Source permite avaliar livremente o software para que você possa tomar a decisão correta, sem custo algum.

  1. Sistemas modernos devem atender a diferentes tipos de clientes.

Quando os clientes interagem com software, eles geralmente estão tentando concluir uma tarefa. Estes sistemas devem permitir uma experiência satisfatória, em todos os âmbitos, a seus usuários finais: da facilidade em realizar uma tarefa, passando pela usabilidade e finalizando com um design atrativo e interessante. Clientes que têm a informação que precisam, de forma fácil e na hora certa, estão prontos para tomar as decisões necessárias e agir quando for necessário, sem impedimentos ou atrasos.

  1. Os sistemas modernos devem dar suporte a design responsível, voltados a aplicações mobile.

As empresas sabem que seus conteúdos tendem a ser disponibilizados de dispositivos móveis para monitores de alta resolução. Eles têm de suportar todas as plataformas e dispositivos, integração com as mídias sociais, e adaptar-se a diferentes perfis de usuário. Eles têm que atender a uma audiência que acessa mais seu conteúdo de dispositivos móveis do que de desktops.

Nos Estados Unidos, mais da metade da população já confia plenamente em seus smartphones pra realizar todas suas tarefas na internet (“Nearly half of American adults are smartphone owners,” Pew Research Center, March 1, 2012). Baseado nesse novo padrão, a estratégia mobile-first determina que os sites devem ser projetados primeiramente para dispositivos móveis, entregando conteúdo e recursos de uma forma mobile-friendly.

Essa estratégia garante a entrega de informação de forma correta, proporcionando uma navegação confortável a quem acessa estas informações por dispositivos móveis. Em outras palavras, as empresas bem sucedidas sabem que dispositivos móveis não são apenas uma forma para interagir, e sim, a maneira correta de interagir. Quem não seguir essa tendência definitivamente está fora do jogo.

  1. Livre-se de gargalos na utilização de novas tecnologias.

O next-level da experiência digital é construído com software Open Source, permitindo personalização e contextualização do conteúdo. As soluções que estão apoiando essas experiências de consumo da próxima geração são Open Source. Rarissímas são as excessões que não as utilizam.

  1. Drupal: O estado da arte em CMS’s Open Source

Os consumidores agora realizam pesquisas, fazem compras e socializam de forma online. Os clientes de hoje exigem uma experiência personalizada que, de alguma forma, vão antecipar as suas necessidades e atender a seus gostos individuais. Ainda esperam excelente conteúdo, comércio online e uma forma fácil de interagir nas redes sociais. Nesse contexto o Drupal fornece uma plataforma singular para realizar este tipo de tarefa.

Por não ser uma tecnologia proprietária, está avançando baseado no trabalho de milhares de desenvolvedores ao redor do mundo. O Drupal evolui organicamente, sob a demanda e na velocidade que a Web exige. Oferece a redução de custos e a agilidade do modelo Open Source, além de dar a capacidade de integrar conteúdo através de uma variedade enorme de canais e tecnologias.

Com Drupal você pode criar conteúdo uma vez e usá-lo de maneiras diferentes para criar experiências únicas e em contextos específicos de usuário contextuais. Drupal é a única plataforma que integra totalmente a geração e gerenciamento de conteúdo, comunidades e comércio em uma plataforma única, além de muitas outras opções.

Se sua empresa busca ser competitiva, com certeza você já deve ter feito um investimento significativo na criação de um site que realmente conta a história da sua marca e o que você tem a oferecer. Drupal pode ajudar a transformar um site estático e desatualizado tecnologicamente em uma experiência digital dinâmica permitindo o envolvimento totalmente do cliente em todas as plataformas.

Se você gostou da dica, mas não leu a primeira parte do material, vale conferir. Clica ai!

 


***
📣
Estamos contratando pessoas que desenvolvam software!
Mais informações sobre a vaga.
***